HOME | Treinamundi

Como os jogos de seleção melhoram a experiência do candidato

0

Como os jogos de seleção melhoram a experiência do candidato

As empresas tem se preocupado cada vez mais com a experiência do candidato ao longo de toda a jornada de seleção.

E essa é uma ótima notícia, afinal, passar por um processo seletivo é uma situação superdelicada para o candidato, que é avaliado por suas competências o tempo todo.

Além disso, é uma forma de cuidar da marca empregadora, como mostra esse trecho retirado do artigo “7 passos para construir uma employee experience efetiva”, do Great Place To Work.

“Caso um candidato não tenha uma boa experiência já no processo seletivo, ele pode se tornar um detrator e prejudicar a sua marca empregadora. Mesmo sem ser contratado, ele deve ser conduzido de forma a gerar satisfação pelo processo. Não se trata apenas de oferecer um feedback positivo ou negativo, mas de submeter os candidatos a uma experiência que demonstra respeito, transparência e agilidade.”

Pensando nisso, vamos contar como o uso de jogos podem te ajudar nessa missão!

Clima mais espontâneo

Os jogos auxiliam na luta contra discursos prontos. Afinal, nenhum avaliador gosta de escutar aquelas apresentações engessadas e previsíveis, concorda?

Um exemplo de jogo que usamos para isso é o Repen-se.

Nesse jogo, o candidato se apresenta tirando cartas de um baralho.

Inevitavelmente, ele sai do seu script e é mais espontâneo, afinal, dificilmente ele terá uma resposta pronta para perguntas como:

  • Se meu temperamento fosse um cor, ele seria…
  • Se meu temperamento fosse um país, ele seria…
  • Se meu temperamento fosse um aplicativo de smartphone, ele seria…

O jogo também explora o quanto o candidato absorveu sobre a cultura da empresa.

Então aquele candidato que traz informações do site e que decorou todos os valores da empresa, terá que sair do script e interpretar o que realmente entendeu sobre a cultura da empresa. Alguns exemplos de perguntas são:

  • Se a empresa fosse um instrumento musical, ela seria…
  • Se a empresa fosse um emoji, ela seria…
  • Se a empresa fosse um continente, ela seria…

De forma geral, podemos dizer que a avaliação fica mais transparente e também espontânea, já que os candidatos tem que pensar em respostas na hora!

Quero mais detalhes do Jogo Repen-se

Atividades divertidas e envolventes

Usar jogos é uma maneira de tornar o processo seletivo mais leve e divertido, contribuindo diretamente para a experiência do candidato.

Mas atenção: o jogo que você usa tem que combinar com seu público e sua vaga. Por exemplo, para uma vaga que exige competências de criatividade e argumentação, uma boa opção é o jogo Essa Ideia Vale 1 milhão.

Nesse jogo, os times recebem um desafio: criar uma ideia reunindo 3 objetos aleatórios. Mas o desafio não para por aí…

A ideia do grupo tem que ser interessante o suficiente para fazer os olhos dos investidores brilharem, por isso, o grupo deve se organizar para criar um Storytelling e argumentos bem fortes para vender sua ideia.

Durante do jogo, adicionamos alguns desafios a mais para analisar como lidam com mudanças e frustração. Mas o mais importante é que os candidatos ficam completamente envolvidos com a atividade, criam ideias disruptivas e se entregam na hora de vender o produto para os investidores.

Nesse contexto, fica mais fácil avaliar suas reais competências!

Quero mais detalhes do jogo Essa Ideia Vale 1 milhão

Para conhecer outros jogos de seleção e decidir qual deles faz mais sentido para sua vaga, clique no botão abaixo.

Quero conhecer todos os jogos de seleção da Treinamundi

Selecione de forma inovadora

Um processo inovador traz mais visibilidade para a empresa e atrai os melhores talentos.

Mas cuidado: inovar não necessariamente significa criar uma atividade nunca vista antes. Aliás, muitas empresa, na tentativa de fazer algo super diferente ou tecnológico, nem sempre atingem os resultados que gostariam.

Inovar pode ser simples, mas uma coisa é certa: tem que surpreender o candidato.

Ao invés de entregar um estudo de caso, por exemplo, que tal aplicar um jogo onde cada participante representa uma área?

Esse é o objetivo do jogo “Qual é o plano”.

O grupo deve criar um plano de negócios com base em um tema que recebem previamente, e para isso, cada candidato representará uma área (por mais que nunca tenha trabalhado nessa área antes).

O grande desafio do jogo é mergulhar nessa área e pensar de que formas ela pode contribuir para o plano de negócios. Aqui, o avaliador tem um prato cheio para avaliar competências como estratégia e capacidade de adaptação.

Como sempre, nós adicionamos alguns desafios extras para analisar outros comportamentos dos candidatos.

Acima de tudo, a ideia é fugir daquele processo tradicional que deixa o candidato preocupado com:

  • Vou dar minha ideia no momento em que o avaliador passar perto
  • Preciso falar mais que os outros integrantes do grupo
  • Preciso mostrar que estou liderando a atividade.

No jogo, cada participante tem o seu papel e, de forma natural, eles ficam mais preocupados com o próprio jogo do que com a avaliação, o que torna o processo mais eficiente e agradável tanto para o avaliador quanto para o avaliado!

Ta aí mais uma dica para você que quer garantir a melhor experiência do candidato!

Quero mais detalhes do jogo Qual é o plano

Quer ler mais sobre o assunto? Fizemos um texto para te ensinar usar jogos corporativos. Clique para saber mais:

Como usar jogos Corporativos

Quer jogar com a gente?

Então fique de olho nas jogatinas mensais que fazemos em parceria com a Vetor Editora. Afinal, nada como jogar para entender como essa ferramenta pode impactar a experiência do candidato na sua empresa =)

Confira a agenda de jogatinas

Pin It on Pinterest

Share This